5 dicas para explorar os encantos do Parque Nacional de Ubajara

Quem pensa que no Ceará só tem Sol e calor está muito enganado. As regiões serranas reservam um clima agradável e paisagens inesquecíveis. É o caso do Parque Nacional de Ubajara está localizado na Chapada da Ibiapaba — região norte do Ceará. Para quem está em Fortaleza, a distância de 321 km pode ser uma barreira, mas vale cada quilômetro percorrido. E neste texto eu vou explicar o porquê.

O Parque Nacional de Ubajara é um paraíso para os amantes da natureza e praticantes de atividades físicas ao ar livre. Um lugar para descansar, relaxar e curtir as atrações naturais: mirantes, cachoeiras e trilhas. Prepare-se para passar o dia rodeado de árvores centenárias e vegetação exuberante. Confira as principais atividades do lugar:

  • caminhada;
  • passeios de bicicleta;
  • roteiro histórico-cultural;
  • observação da fauna e da flora;
  • caminhada noturna na lua cheia;
  • trilhas (Ibiapaba, Samambaia e Araticum);

O Parque é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade — ICMBio. Devido à sua riqueza natural, o lugar é utilizado para realizar pesquisas científicas, atividades de educação e interpretação ambiental, atividades recreativas de contato com a natureza e para o turismo ecológico.

O acompanhamento do guia é obrigatório tanto para os passeios pelas trilhas quanto para visitar a Gruta. E também é recomendado fazer o passeio com, no mínimo, cinco pessoas. Essa é uma medida de segurança para os visitantes. Os guias fazem parte da Cooperativa de Trabalho, Assistência ao Turismo e Prestação de Serviços Gerais – COOPTUR.

Uma das grandes características do parque são os dois ecossistemas: mata úmida e mata seca. A transição entre esses dois ambientes tão diferentes enriquece ainda mais a biodiversidade. Vale ressaltar que a região têm considerável ocorrência de chuvas e ambiente semi-árido, a caatinga.

Vista do Mirante da Gameleira (FOTO: Rosana Romão)

Vista do Mirante da Gameleira (FOTO: Rosana Romão)

O parque cobra uma taxa de visitação para manutenção e preservação do espaço. Mas o visitante escolhe as áreas que deseja conhecer e paga apenas pelas que escolheu. Confira a tabela de valores.

Local Valor
Roteiro Histórico-Cultural R$ 5
Trilha da Samambaia (Arvorismo/Mirante Gameleira) R$ 8
Trilha da Samambaia (Cachoeira do Cafundó) R$ 15
Circuito Gavião R$ 20
Trilha completa (Samambaia/Cafundó/Gruta de Ubajara) R$ 30
Trilha Bike R$ 50
Trilha Noturna R$ 15

OBS: Esses valores são de maio/2018.

1. COMO CHEGAR?

O parque está localizado entre os municípios de Ubajara, Tianguá e Frecheirinha. O endereço exato é Rodovia da Confiança CE-187, Zona Rural. CEP: 62.350-000. Você pode ir de carro ou de ônibus rodoviário. A distância entre o terminal rodoviário e o parque é de 3,7 km. A passagem Fortaleza – Ubajara custa aproximadamente R$ 46 na categoria convencional e R$ 60 na categoria executiva. A viagem tem de 6 a 7 horas de duração.

Saindo de Fortaleza, você deve utilizar a BR-222 até chegar no município de Tianguá. Depois segue pela Rodovia da Confiança CE-187 por 15 km até a cidade de Ubajara. De lá até o parque são 2 km de distância, em uma rua pavimentada.

Outra opção é trafegar pela BR-020 até Canindé, distante 110 km. Depois segue por mais 106 km na CE-257, até chegar em Santa Quitéria. Em seguida, use a CE-463, que passa por Varjota e Reriutaba. Quando chegar em Guaraciaba do Norte, siga pela CE-187 que passa por São Benedito, Ibiapina e Ubajara, uma trajetória de 140 km.

Mas se você vem de Teresina (PI), o trajeto é feito pela BR-343 até a cidade de Piripiri (PI). Depois vai pela BR-222 até a Tianguá. Depois segue pela Rodovia da Confiança CE-187 até Ubajara.

Visual durante a trilha. (FOTO: Rosana Romão)

Visual durante a trilha. (FOTO: Rosana Romão)

Registro durante a trilha. (FOTO: arquivo pessoal)

Registro durante a trilha. (FOTO: arquivo pessoal)

2. QUANDO IR?

Os períodos de fluxo intenso acontecem durante as férias escolares e feriados prolongados. Se você gosta de um ambiente calmo, programe a sua visita no primeiro semestre, durante os meses de fevereiro a junho, com exceção dos feriados de Carnaval e Semana Santa. No segundo semestre, o período mais tranquilo é de agosto a novembro.

O clima também pode indicar a melhor época para conhecer o Parque. No primeiro semestre o clima oscila entre 16 e 18ºC durante a noite e entre 20 e 24ºC durante o dia. Já no segundo semestre a temperatura média é de 28ºC durante o dia e 19ºC durante a noite. A minha recomendação é o mês de maio, pois ele vem logo após o término do período chuvoso, que deixa a vegetação mais verde e bonita.

Cachoeira do Gavião. (FOTO: arquivo pessoal)

Cachoeira do Gavião. (FOTO: arquivo pessoal)

3. QUAIS AS ATRAÇÕES?

Teleférico

O teleférico (bondinho), suspenso por cabos de aço, é capaz de realizar um trajeto de 550 metros, entre a estação superior e inferior. A duração do passeio é de 3 minutos e proporciona uma vista privilegiada do parque.

Ele é administrado pela Secretaria de Turismo do Governo do Estado do Ceará e no momento não está funcionando. Segundo o órgão, que também é responsável pela sua manutenção, ainda não há data de previsão para o retorno das atividades.

Roteiro histórico cultural

É uma trilha curta, onde o guia apresenta todos os atrativos do parque e em seguida leva até o Centro de Visitantes, que têm informações históricas do parque. No local também há a Casa na Árvore, um vagão do bondinho para visitação e o Mirante do Pendurado. A entrada custa R$ 5.

Trilha da Ibiapaba

É a mais curta, com aproximadamente 300 metros. Ela começa na portaria principal do parque e segue até o estacionamento interno. Faz parte da entrada do parque e é gratuita. Também é acessível para pessoas com mobilidade reduzida. É um bom aquecimento para as principais trilhas.

Trilha da Samambaia

Ela é dividida em dois percursos: o primeiro leva até o Mirante Gameleira e o segundo até à cachoeira do Cafundó. A primeira opção é mais leve, ideal para idosos e pessoas acompanhadas com crianças. Já a segunda requer um pouco mais de esforço físico, mas nada que atrapalhe o passeio. No geral, os percursos são considerados de nível leve a moderado. Mas sempre que necessário, o guia realiza paradas para descanso e hidratação.

Mirante Gameleira

O trecho tem aproximadamente 1.250 metros. Primeiro você passa por um pequeno arvorismo e segue até o Mirante Gameleira, onde pode se deslumbrar com a vista panorâmica de grande parte da área do parque. De lá também é possível observar o Olho d’água da Pedreira e algumas cachoeiras.

Cachoeira do Cafundó

O percurso de 3 km de extensão e a trilha é considerada de nível médio. Ela leva até o Circuito das Cachoeiras. O visitante desce até à Cachoeira do Cafundó, que tem água gelada e um poço para banho, além de uma vista espetacular.

Cachoeira do Cafundó. (FOTO: Rosana Romão)

Cachoeira do Cafundó. (FOTO: Rosana Romão)

Trilha Circuito Gavião

Essa trilha é a mais completa, porque engloba o Mirante Gameleira, a cachoeira do Cafundó e a cachoeira do Gavião. O percurso é de 4 km e requer mais atenção e cuidado pois passa próximo ao penhasco. Por isso, a trilha é considerada de nível moderado. Todo o esforço é recompensado com lindos mirantes naturais e paradas para banho.

Cachoeira do Gavião. (FOTO: Rosana Romão)

Cachoeira do Gavião. (FOTO: Rosana Romão)

Cachoeira do Gavião. (FOTO: arquivo pessoal)

Cachoeira do Gavião. (FOTO: arquivo pessoal)

Trilha Ubajara/ Araticum

Essa é a trilha que dá acesso à Gruta Ubajara. Sua extensão é de 7km em um percurso de pedra, muito íngreme. A duração é de aproximadamente 6 horas de caminhada. Mas durante todo o trajeto, o visitante tem acesso à diversas belezas naturais: fauna, flora, riachos e cachoeiras.

Gruta Ubajara

A gruta tem 1,2 mil metros de extensão e 75 metros de profundidade em relação à entrada. O trajeto no interior da gruta é iluminado por refletores e o visitante tem acesso a uma extensão de aproximadamente 450 metros entre galerias, com desnível de 35 metros de profundidade.

Há uma lenda de que a gruta tem uma ligação até o Parque Nacional das Setes Cidades, no Piauí. Mas trata-se apenas de uma lenda, pois a distância dos dois pontos é maior do que 100 km. O local foi conhecido e explorado no século XVIII em busca de ouro e pedras preciosas. Na década de 40, o lugar foi utilizado para a realização de eventos religiosos: casamentos e missas. A trilha também era usada para o percurso de romarias.

Dentro da gruta, encontram-se formações calcárias belíssimas: estalactites, estalagmites, cortinas e cogumelos. No passado, devido ao brilho da calcita, as pessoas achavam que havia algum mineral ou metal precioso, o que gerou muita degradação. Por isso, a fiscalização é intensificada, a fim de preservar o local.

O acesso é feito por trilha ou pelo teleférico (atualmente fora de serviço por tempo indeterminado). Quando está funcionando, o bondinho deixa evidente a depressão de 535 metros em relação à Plataforma Superior do Teleférico. Durante o funcionamento, as visitas são realizadas das 9h às 15h, mas a última descida acontece às 14h30.

Gruta de Ubajara. (FOTO: divulgação)

Gruta de Ubajara. (FOTO: divulgação)

4. QUAIS AS RECOMENDAÇÕES?

 

  1. O visitante deve vestir-se e calçar-se adequadamente. Roupas leves e o uso de tênis ou bota são indispensáveis para os passeios. Leve também uma roupa de banho para aproveitar as cachoeiras. Se possível, separe uma pequena toalha para enxugar os pés e calçar novamente os sapatos após o banho, para que eles não fiquem pesados ou escorregadios.
  2. Outra recomendação importante é seguir as orientações do guia e não sair da trilha. Além de causar impacto ao meio ambiente, dificultando a preservação da natureza, você pode perder-se ou mesmo ter contato com animais como cobras e escorpiões. Essa é uma medida para a sua própria segurança, procure respeitá-la e seja um visitante responsável.
  3. O acesso às trilhas começa às 8h e encerra às 16h, com intervalos de 1 hora entre os grupos (compostos de 5 a 15 pessoas). O parque funciona de terça a domingo e encerra suas atividades às 17h.
  4. Caso viaje durante feriados prolongados ou meses de férias escolares (julho, dezembro e janeiro), entre em contato com a COOPTUR para agendar a sua visita à Gruta. Ela limita-se a 300 pessoas por dia, com intervalo de 15 minutos entre os grupos (limitados a 12 pessoas no máximo). Nesses casos, entre em contato com o Sr. Alex (88) 99942-3051, Welio (88) 99937-5544 ou Wesley (88) 99921-3266.
  5. O Parque possui uma lanchonete onde você pode se alimentar antes ou após os passeios. Caso não tenha levado a sua água, aproveite  para comprá-la antes de iniciar as trilhas.
Cachoeira do Cafundó. (FOTO: Arquivo pessoal)

Cachoeira do Cafundó. (FOTO: Arquivo pessoal)

5. ONDE SE HOSPEDAR?

 

Há diversos hotéis e pousadas na cidade. A maioria se encontra no centro de Ubajara, mas se você prefere ficar rodeado pela natureza, ouvindo o som das árvores, opte por uma acomodação na via que dá acesso ao parque. Ela tem 2 km de extensão e sua maior parte é residencial ou comercial, mas existem hotéis e pousadas próximas à entrada do parque.

É o caso da Pousada Gruta, que fica a menos de 200 metros de distância. É a opção perfeita para quem gosta de ficar rodeado pela vegetação e gosta da presença de animais: pássaros, pavões e coelhos são comuns. O lugar também possui restaurante, o que dá mais comodidade aos hóspedes. Uma boa dica é caminhar ou pedalar na rua no início da manhã. O clima é agradável e o visual encanta os olhos!

Gostou das dicas sobre o Parque Nacional de Ubajara? Se tiver alguma dúvida ou recomendação, deixe o seu comentário!

Serviço

PARQUE NACIONAL DE UBAJARA
Endereço: Rod da Confiança, 187 – Zona Rural – Ubajara/CE – CEP: 62.350-000
Funcionamento: terça a domingo, de 8h às 17h
Contato: (88) 3634-1388